Scup

 As fintechs transformaram a maneira pela qual as pessoas administram suas finanças e agora colhem os frutos dessa mudança. Cada vez mais presentes no dia a dia dos brasileiros, elas ainda têm boas perspectivas de futuro: de acordo com projeções do banco Goldman Sachs, as fintechs brasileiras devem lucrar R$ 75 milhões nos próximos dez anos. Mas o que as torna tão especiais?

 

Elas oferecem serviços que todos conhecem, como pagamentos, transferência de dinheiro, empréstimos e investimento, mas com custos mais baixos do que os grandes bancos e taxas menores para os clientes. Isso permite, por exemplo, que a população menos favorecida tenha acesso a serviços financeiros. O sucesso dessas empresas, porém, não se deu pelo produto desenvolvido ou pelo valor cobrado dos clientes.

 

As fintechs têm como propósito facilitar a vida das pessoas e melhorar a experiência do consumidor e, por isso, dão extrema importância ao CX. Com uma mentalidade inovadora, elas tornaram os processos financeiros mais simples e menos chatos, desassociando-os de ideias como burocracia e perda de tempo. A grande jogada das fintechs, portanto, foi fazer com que as pessoas se sentissem importantes e valorizadas.

 

Conheça alguns dos seus diferenciais:

 

Atendimento humanizado

Qualidade, para as fintechs, não significa somente uma execução bem-feita. O atendimento vai além da simples resolução de problemas: as equipes são qualificadas para resolver as questões de forma rápida e atenciosa, de modo que aquela questão inconveniente não se torne um incômodo para o usuário. A ideia é sempre oferecer a melhor experiência possível.

 

Endereço online

As fintechs não possuem agências físicas. Na prática, isso significa que os eventuais problemas são resolvidos nos próprios aplicativos, de forma autônoma ou conversando com a equipe de atendimento. Essa estratégia não só poupa o tempo dos usuários, mas também deixa que eles tenham o controle da situação. São os clientes que escolhem quando entrarão em contato e de onde farão isso — de casa, do trabalho ou de qualquer outro lugar.

 

Agilidade

Sem a burocracia de uma agência, as fintechs oferecem as mesmas soluções financeiras que os grandes bancos, mas com prazos e valores menores. É possível modificar o limite do cartão em um toque ou conseguir crédito imobiliário em dez dias, por exemplo. O atendimento é considerado humanizado porque valoriza o tempo do cliente, que às vezes tem pressa para ter seu empréstimo aprovado.

 

Bots

Os bots, assim como as fintechs, vêm ganhando cada vez mais espaço na vida das pessoas. Eles são incapazes de substituir um humano, mas ainda assim podem ser de grande ajuda em diversos setores. Com eles, fintechs de investimento conseguem calcular riscos com maior precisão, como é o caso da Nexoos, startup que oferece empréstimos a pessoas físicas e empresas. Usados também para atendimento, os bots resolvem as dúvidas mais básicas e deixam os problemas mais sérios para os funcionários de verdade.

 

A intimidade dos dados

Assim como todas as empresas digitais, as fintechs coletam milhares de dados sobre seus clientes, o que permite conhecê-los a fundo. A partir disso, elas personalizam a experiência dos usuários, fazendo recomendações que se encaixam perfeitamente às necessidades da pessoa, por exemplo.

 

Veja também: A influência da Inteligência Artificial no Customer Experience

 

Você usa alguma fintech que não listamos? Conta pra gente! No FacebookTwitterInstagram e LinkedIn@ScupBrasil.

>>> Veja também: Quais são as fintechs brasileiras

Deixe Sua Opinião

(Your email address will not be published. Required fields are marked)