Quais são os horários nobres do Facebook? Identificamos os períodos de maior movimento na maior rede social usada do mundo.

Postado por Eliseu Barreira

Quais são os horários nobres do Facebook? Pela segunda vez, identificamos os períodos de maior movimento na rede social usada por mais de 67 milhões de brasileiros. O estudo, concebido a partir de uma amostra de quase 34 milhões de posts e comentários coletados pelos monitoramentos feitos com o Scup em 2012, revela que a qualquer hora do dia capturar a atenção dos usuários da rede social pode ser um grande desafio.

Confira os principais destaques do estudo:

> O volume e a distribuição de posts e comentários é semelhante de segunda a sexta-feira, o dia todo. Uma pequena mudança ocorre aos sábados e domingos, quando os brasileiros parecem tirar uma folga da rede social. Com menos disputa pela atenção, os finais de semana podem ser uma excelente oportunidade para marcas e empresas conversarem com seu público;

> Conforme outros estudos já mostraram, entre 20h e 21h, o Facebook parece atingir um pico de uso. Isso não quer dizer que esse seja o melhor horário do dia para postar na rede social, já que a quantidade de oferta pode ser muito maior;

> No final da manhã, entre 11h e 12h, o movimento no Facebook cresce. Alguns palpites para explicar o cenário: tem mais gente acordada; pra quem começou a trabalhar cedo, a rede social se torna um elemento de descontração; e as pessoas começam os preparativos para o almoço pelo Facebook. Pode ser um bom horário para fazer postagens leves e divertidas;

> Notem que o volume de postagens e comentários durante o horário comercial não muda muito após o expediente. Das 9h às 23h, os gráficos apresentam um comportamento quase uniforme. Isso pode ser explicado pelo crescente acesso a dispositivos móveis com conexão à internet; e

> Vale destacar que o nosso estudo não revela os melhores dias e horários para publicar no Facebook nem os momentos em que há mais gente usando a rede social. Os dados servem apenas como um termômetro para isso. Outras análises e índices devem ser considerados para que interpretações assim sejam feitas.

E você, quais conclusões tira do estudo? Compartilhe a sua opinião com a gente!

(Infográfico: Gustavo Pizzo)

compartilhar

Comentários

comentários